domingo, setembro 24, 2006

Mil anos...


As horas passam e nada faz a menor diferença... Tantas pessoas chegam e partem, mas tudo permanece a mesma coisa e embora já negou infinitas vezes ele hoje, enfim, admite. O momento é sempre inoportuno, entretanto tudo dentro dele grita pra que seja agora. Paciência... A vontade de falar só não é tão forte quanto a consciência de que segurar-lhe seria tão difícil quanto conter areia fina entre os dedos da mão. E por isso ele espera todos os dias... Incansável. Não importa quantos anos lhe custem. Porque os olhos tão claros, embora não o enxerguem, são o refúgio que um dia ele ainda vai habitar... Isso é tão certo quanto à noite e o dia... E ao mesmo tempo em que ele acredita nisso tudo calado esse é o seu segredo mais óbvio.

2 Comments:

Anonymous cadu said...

menino das topadas!
hihihihihi
parece que teus pés num acompanham teus vôos...
abraço.

12:32 PM  
Anonymous Luciana said...

Admitir, negar, ouvir, falar, calar... momentos marcantes na vida de qualquer pessoa.

É preciso ter muita paciência para esperar, apesar dos gritos.

Não sei esperar tanto tempo.

Confesso que, vez por outra, sussuro (pq gritar pode assustar) um "oi" para lembrar que estou à espera.=]

8:29 PM  

Postar um comentário

<< Home