sexta-feira, agosto 04, 2006

modernidade...


Era uma noite tediosa qualquer há uns dois meses, mais ou menos. Ele estava cansado de esperar por alguém no msn e a internet inteira parecia não ter mais nada de interessante pra o manter acordado. Deitado em seu quarto com a janela trancada ele nem mesmo enxergava as estrelas pelo vidro que acabara de cobrir com papel manteiga, o ventilador reproduzia um barulho baixinho na menor potência e a sensação de sufocamento começou tomar-lhe de assalto. O quarto parecia menor do que era e o ar parecia fugir por sei lá que brecha pudesse existir num cubículo completamente trancado. Seu coração disparou e em questão de maia hora ele estava no hospital fazendo um eletrocardiograma!

Exames normais. Ele não tinha nada de errado.

Dois dias depois ele voltava de ônibus da faculdade tarde da noite. Reparava nas pessoas que subiam e escolhiam entre tantas cadeiras vazias pra sentar. É curioso isso... a gente sempre pede internamente pra que aquele ou aquela estranha sente em qualquer lugar menos ao seu lado, você quer ocupar sozinho as duas poltronas enquanto viaja com o vento na cara pensando em sei lá o que. Mas não é que chega alguém e escolhe sentar ao seu lado, mesmo tendo tantos outros lugares pra se sentar! Ah isso é um saco mesmo, mas em menos de um minuto você se acostuma e esquece de quem está alí ou pelo menos até o dia em que você precise de ajuda, o que, obviamente, tinha que acontecer com ele! Mesmo com uma janela enorme por onde uma ventania entrava e varria o seu cabelo pra trás, aquela sensação de sufocamento o engoliu outra vez seguida de um disparo na aceleração cardíaca tão forte a ponto de fazer-lhe perder o equilíbrio e a sensibilidade dos braços. Cerca de dez minutos depois ele estava outra vez no mesmo hospital fazendo os mesmo exames de eletrocardiograma e recebendo os mesmo resultados de que nada de errado acontecia com ele.

Nada de errado no que se refere a problemas de hipertensão arterial... O garoto complicado descobriu uma semana depois que estava com a sindrome do pânico.

Porque ele sabia que um dia as consequências de tanto enclausuramento e internamento de sentimentos em locais pouco acessíveis apareceriam... Porque ele ainda não era complicado o suficiente!

5 Comments:

Anonymous Aline Borba said...

Gostei mt de vc!!!
seu jeito de ser parece com o meu...e tb sou bem complicada!!rsrssrss
adorei o blog
xD
bjusss

12:44 PM  
Anonymous Apple. said...

Você escreve muuuito bem!! Adorei o texto. Beijos

2:14 PM  
Anonymous Luciana said...

Esperar uma certa plaquinha de MSN que não sobe e ter que sentar ao lado de certos desconhecidos causa uma sensação de sufocamento...

Como o garoto complicado tá com uma síndrome que causa, entre outras coisas, claustrofobia, seria interessante retirar o papel manteiga da janela e evitar a fobia social!!

Ser complicado nesse caso é muito relativo :P

;****

10:41 AM  
Blogger Marlborolight said...

é foda esperar por alguem no msn, principalmente quando esta pessoa não aparece, e eu penso do mesmo jeito que você em relação aos assentos dos ônibus... hehehe... =P


eu li alguns dos seus posts e gostei muito. Você deve estar se perguntando quem sou eu, né? eu sou so alguem que estava andando de blogger em blogger e acabei parando aqui e esse foi o unico a qual estou deixando um comentario, pois eu gostei muito do jeito que vc escreve e descreve seus pensamentos e sentimentos.

7:42 PM  
Anonymous Anônimo said...

oi. tb tenho sindrome do panico. se quiser trocar figurinha. meu e-mail é sofizes@hotmail.com

2:45 PM  

Postar um comentário

<< Home